sábado, 4 de junho de 2011

vigésimo segundo capitulo.


                                                 Gestação.

  Os meses foram passando e a barriga de Sofia crescendo, já não cabendo em suas roupas, D. Gertrudes ficou toda alegre, embora aquele momento não fosse o melhor para se ter um filho, sua neta teve que abandonar os estudos para ser mãe, não era isso que eles queriam para ela, mas agora não tinha mais jeito. Tomás parecia todo bobo, comprava brinquedos, roupinhas, mamadeira, tudo que se pode imaginar.
  Sofia não queria saber o sexo do bebê, queria que fosse uma surpresa na hora do parto, mas aos oito meses ela não agüentou e pediu ao médico que a dissesse, era um menino completamente saudável, ela ficou toda alegre, porque ela sabia como brincar com um menino, ela brincava como um quando criança e uma menina seria uma coisa muito nova e totalmente diferente.
  Uma semana após visitar o medico Sofia sentiu algumas contrações, ligou para sua avó e para Tomás e eles voaram para o hospital, havia tido uma complicação, a criança iria nascer, a moça entrou em pânico, ela tinha dito ao doutor que estava de oito meses mas como mentiu para todo mundo para não admitir o adultério, teve que mentir sobre isso também. Na mesa de parto o medico não entendendo diz:
- engraçado, aqui parece que a senhorita esta de nove meses.
Sofia gelou.
- impossível, eu contei certinho, quer dizer, nós contamos.
- seja o que for, esse rapazinho quer sair já.
E ela entrou em trabalho de parto, após um tempo  eles ouviram o choro da criança e então os dois se debulharam em lagrimas, Sofia pegou a criança que acabara de sair de dentro dela e olhava com muito amor nos olhos, como nunca olhou para Tomás e o pai estava com carinha de alegre, ainda parecia não acreditar no que acabava de acontecer.
- você escolheu um nome, Sofi ? – perguntou ele.
- ele vai se chamar Caio, acho lindo esse nome. – disse ela ainda chorando.
 Foi uma cena linda, todos estavam alegres, a chegada da criança mudaria a vida deles completamente, Sofia aprenderia a ter responsabilidades e ficaria com Tomás que nunca deixou de amá-la, o que poderia ensina a moça a gostar dele também, vida a nova a esse novo reinado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário